26
jul

0
L-aromatherapie-essence 800

CUIDADOS AO COMPRAR SEU ÓLEO ESSENCIAL

Ao se encantarem por Aromaterapia, muitas pessoas começam a comprar óleos essenciais. Porém, é necessário que fique bem claro o que é um óleo essencial, com todas as qualidades terapêuticas e não comprar gato por lebre…

Por definição, os óleos essenciais são substâncias vegetais voláteis e extremamente concentradas extraídos a partir de flores, frutos, sementes, folhas, raízes e outras partes das plantas por diferentes métodos de extração. Penetram em nosso organismo ao serem inalados ou através da pele, são absorvidos pela corrente sanguínea e metabolizados pelo corpo e possuem propriedades terapêuticas.

Para preservar as propriedades terapêuticas e maior durabilidade, devem ser envasadas em vidros escuros, geralmente de cor âmbar, com bico dosador, para uso com segurança. E por serem extremamente concentrados, se envasados de plástico ou de outro material menos resistente, os óleos essenciais poderão causar danificação da embalagem e também causar irritação dérmica, alergias ao consumidor final.

Os óleos essenciais são extraídos a partir de um processo de destilação a vapor ou de processo de prensagem a frio, como no caso dos óleos cítricos. A maioria dos óleos essenciais não possui coloração forte, se isso ocorrer é porque foram adicionados corantes. As cores mais comuns dos óleos essenciais variam do transparente ao amarelo claro, com algumas exceções, como o óleo de camomila alemã, que possui coloração azulada (devido ao camazuleno); ou os óleos de tangerina, laranja que possuem cor alaranjada; os óleos de pachouli, casca de canela e vetiver que têm cor marrom; e o cedro de Himalaia e a bergamota, que apresentam cor esverdeada.

Um óleo essencial tem o custo mais elevado do que o de essências sintéticas e o preço pode variar conforme o rendimento do óleo essencial, pois nem todas as plantas produzem óleo essencial em grande quantidade. Para exemplificar: para extrair um litro de óleo essencial de Eucaliptus globulus necessita-se cerca de 30 kg de folhas, enquanto que para extrair um litro de óleo essencial de Rosa damascena são necessárias cerca de 3 toneladas de pétalas – portanto, a diferença de preço fica notória.

As adulterações são frequentes devido ao baixo volume de óleo essencial que as plantas produzem e a alta demanda da aromaterapia, podendo trazer riscos aos usuários de óleos essenciais. O mercado está cheio de produtos que incluem a adição de compostos sintéticos de baixo preço, como álcool de cereais, mistura com óleos de menor valor, etc. e de óleos vendidos como puros são misturados com óleos minerais e essências sintéticas…

Fique atento: verifique se o rótulo possui o nome científico ou nome botânico da planta. Em maioria, as essências sintéticas não possuem o nome botânico no frasco. O nome científico pode evitar confusões entre espécies diferentes que possuem o mesmo nome popular. A origem do óleo essencial pode ser mais um fator para identificação, essências sintéticas não informam no rótulo o país de origem. E o mais importante: óleos essenciais obrigatoriamente necessitam de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Verifique se o rótulo possui as seguintes informações:
Nome científico (botânico);
Parte da planta usada para extração;
País de origem;
Processo de extração;
Composição;
Data de envase ou extração e Validade;
Certificação orgânica, caso houver;
Número do lote do produto;
Nome e registro da empresa/fabricante;
SAC – Serviço de Atendimento ao Consumidor.

Compre sempre óleos essenciais de fornecedores de sua confiança e de profissionais capacitados em aromaterapia, comprometidos em esclarecer com responsabilidade as propriedades e finalidades terapêuticas com segurança, como por exemplo, de empresas nacionais constantes no link: http://www.aromaflora.com.br/parcerias/