estudos de casoAo completar a etapa das aulas online e presenciais, para ser considerado(a) um(a) aromaterapeuta, é necessário que o aluno(a) realize  os  estudos  de  caso com o objetivo de treinar os conceitos aprendidos na formação.

Cada estudo de caso deve ter entre 06 (seis) e 10 (dez) sessões, todas documentadas. A quantidade varia de acordo com a cooperação do atendido, que deve colaborar, realizando as sugestões que o aluno der para serem feitas em casa, bem com comparecendo a todas as sessões.

Os atendimentos dos estudos de caso não devem ser cobrados, a não ser que o terapeuta já atenda de forma regular e esteja apenas agregando a Aromaterapia como mais uma ferramenta. Neste caso, a sugestão é não cobrar a mais por esta nova prática até que se forme. Isto porque o aluno estará em fase de aprendizado e ainda não tem domínio sobre a técnica. Nem ajuda de custo ou doação, pois o objetivo é o aprendizado.

Caso o aluno não tenha local para atendimento poderá utilizar gratuitamente a sala de atendimento da Aromaflora, desde que agendado previamente e que a sua filiação esteja em dia. O fornecimento dos materiais utilizados no atendimento serão de inteira responsabilidade do aluno bem como a integridade das dependências da Aromaflora.

Termo de consentimento: deverá ser lavrado um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) de acordo com modelo disponibilizado no site da Aromaflora (clique aqui), no qual as partes, pesquisador e pesquisado, esclarecem e concordam com os termos do estudo de caso em questão.

São permitidas fotos e gravações de áudio e vídeo desde que com consentimento por escrito do atendido no TCLE. Todo material pode ser anexado ao relatório final.

Ao final de cada sessão, deve ser feito um relatório com:

  • Justificativa da(s) técnica(s) e materiais usados.  
  • Reações aos tratamentos realizados
  • Estado após a sessão
  • Dificuldades
  • Dúvidas ao orientador
  • Comentários do atendido
  • Observações diversas
  • Sugestões ou considerações do Orientador (no retorno)

Todos os relatórios devem ser anexados às fichas de atendimento.

Ao final do estudo de caso, deverá ser feito um relatório final, contendo:

  • Expectativas iniciais
  • Comentários do atendido
  • Dificuldades
  • Resultados
  • Aprendizado
  • Conclusão

Quando houver necessidade para tirar dúvidas, o aluno pode contatar os professores da Aromaflora (Beatriz Yoshimura, Emília Kiyohara, Silvia Kalvon, Luci Gonçalves) para agendar um horário.

Podem ser utilizados os modelos de fichas de atendimento anexados para criar os próprios formulários.

O professor/orientador poderá aceitar ou recusar o estudo de caso, portanto, antes de começar, é bom verificar a viabilidade de cada um deles. Mesmo assim, o orientador poderá recusá-lo em qualquer fase do estudo, se encontrar motivos concretos para tal.

Tudo o que for diferente do proposto aqui deve ser aprovado por algum dos professores/orientadores. Sugestões são bem vindas, mas devem passar por aprovação.

Devem ser feitos três estudos de caso documentados e aprovados que equivalerão a 08 (oito) horas  cada (em média), perfazendo o total de 24 (vinte e quatro) horas. Contudo até dois deles podem ser substituídos por atendimentos no Projeto Aromas do Bem nas seguintes condições:

Um dia de atendimento equivalerá a 02 (duas) horas de estudo de caso, portanto serão necessários 04 (quatro) dias de atendimento para cada estudo substituído.

São possíveis as seguintes combinações:

  • 03 estudos de caso.
  • 02 estudos de caso e 04 atendimentos.
  • 01 estudo de caso e 08 atendimentos.

Nos atendimentos, coloca-se à prova não só os conhecimentos, mas a forma de interagir e cuidar de pessoas. Toda sorte de imprevistos pode acontecer, assim como acontecimentos interessantes que enriquecerão o exercício do terapeuta.

A participação nos atendimentos pode ser de forma atuante ou como observador.

Os atendimentos deverão ser previamente agendados e acontecerão dependendo do número de vagas.